sexta-feira, 22 de maio de 2009

Zé Rodrix

Cacilda, morreu o Zé Rodrix??!! Deverá ser lembrado, principalmente, como o compositor (ao lado de Tavito) da célebre 'Casa no Campo', imortalizada por Elis Regina. Mas Zé fez parte do seminal Sá, Rodrix e Guarabyra, que no final dos anos setenta foi rotulado como o primeiro grupo de 'rock rural'. Mas era muito mais do que isso: espécie de Crosby, Stills, Nash & Young dos trópicos, o trio lançou ao menos dois excelentes discos, ´Passado, Presente & Futuro' e 'Terra', deixando pra história músicas como 'O Pó da Estrada', Mestre Jonas', 'Primeira Canção da Estrada' e tantas outras, que viraram verdadeiros ícones de toda uma geração hippiebrazuca, de muitas histórias e incontáveis equívocos. Sá & Guarabyra seguiram em frente, enquanto Zé Rodrix tentou a carreira-solo. Não se deu lá muito bem e passou então a desenvolver bem sucedida carreira na publicidade, onde seguiu até o final da vida. O vídeo abaixo foi gravado em uma reunião do grupo original, em 2001 no Teatro Mars, aqui em São Paulo. Traz 'Hoje Ainda É Dia de Rock, música que deu origem ao termo 'rock rural'; mostra o grupo em surpreendente ótima forma. O primeiro show que vi na vida foi de Sá, Rodrix & Guarabyra, no TUCA. Depois, acabei virando amigo, por determinado período, dos queridos Luiz Carlos Sá e Gutemberg Guarabyra. Mal conheci o Zé Rodrix, mas sinto que lá se vai, com ele, mais um pedacinho da minha vida.

19 comentários:

anna disse...

ai que saco essa de ter que morrer...

como diz meu pai: é filha, estão chamando os da minha geração.

peri s.c. disse...

Cacilda mesmo.

Lá foi ele encontrar com Mestre Jonas, dentro da infinita baleia.
Eles eram ótimos.

Mas ainda hoje, ainda é dia de rock.

Márcia W. disse...

Dupla Cacilda!,
tomara que ele tenha ido parar numa linda casa no campo...

jayme disse...

Neil, falei dele lá no Dito Assim. Uma perda chata, dessas totalmente inesperadas.

Anônimo disse...

Bem, mude o racíocineo: fica com você um pedacinho da vida dele. Em muitos de nós.Lembro de vc escutando muito aquele disco deles com um violão na capa, acho que é o "hj ainda é dia de rock" que tem os celebres sucessos. Eu de carona de irmão tb me apaixonei e cheguei a inventar na minha turma da praia das cigarras que era minha aquela musica "apesar das minhas roupas rasgadas...". Eu tinha 12 anos e irmãos mais velhos que me apresentavam adiantamente a muitas coisas. Meus amigos acreditaram em mim e me acharam uma genia!hahaha! Tb senti a partida do Zé. Conheci ele lá no Off, anos 80. É assim a vida. Alguns vão e deixam muita coisa bacana pra quem fica. Que bom que ele é um desses. Pat G.

Neil Son disse...

é anna, a fila anda...

Ricardo Soares disse...

Marcinho, divido com vc a tristeza pela partida do Zé Rodrix conforme postei lá no meu blog tb...quanto ao Jairzinho que vc pergunta se parece feliz, parece sim !!! camisa florida, sorriso largo... mas um amigo me confidenciou que ele fica chateado por não ser tão reconhecido nas ruas... aquele abraço !!! respondi a sua questão tb em meu blog...

Neil Son disse...

peri: engraçado que houve um certo revival, recente, da música 'mestre jonas', já que ela tem grande destaque na trilha do 'meu nome não é johnny'.

Neil Son disse...

marcia: '...onde eu possa guardar meus amigos, meus discos e livros, e nada mais...'

Neil Son disse...

que belo comentário, pat! incrível que até esse momento, nunca havia me tocado dessa influência de 'irmão mais velho'... me comoveu, irmãzinha...

Neil Son disse...

ah! e o disco do violão é o 'terra'. não tem o 'hj ainda é dia de rock', que tá no anterior, mas tem a 'canção da estrada' (aquela, das roupas rasgadas).

Neil Son disse...

valeu ricardo! abração!

Anônimo disse...

Pois é Neil.

À época de ginásio,era da turma das "paqueras".Menininhas do Sion,Des Oiseaux,Sacre Coeur,quermesses,mingaus,Rua Augusta,Yara casa de chá...(O olhar de rapina,nossos bailes no clube da esquina,...coisas que vão fazer você tremer dentro do vestido...Quanta saudade!...)
Adultos,trabalhamos juntos,no "Osmar Santos Show",Rede Manchete...Quanta saudade...

Abração

Günther.

Arnaldo disse...

Na verdade, e curtia o Sá, Rodrix e Guarabira. Quando ele saiu do trio, continuei curtindo a dupla e ao Zé Rodrix, que foi pros lados da propagada, não dei mais tanta atenção.

Quem é da minha idade, certamente vai se lembrar do jingle da campanha de uma marca de Jeans:

"Liberdade é uma calça velha
azul e desbotada.
Que você pode usar
do jeito que quiser.
Não usa quem não quer. US TOP."

Arnaldo disse...

Falei bobagem do comentário anterior. Na verdade, os autores deste jingle foram Sérgio Mineiro e Renato Teixeira. Fui traído pela falsa memória. Quem me alertou foi o Jaime do "dito assim parece a toa"

Neil Son disse...

gunther:
"há muito tempo que eu não venho no clube
mas as pessoas continuam as mesmas
parecem personagens saídas de uma balada do começo dos anos sessenta"
(Anos 60 - ZéRodrix)

Neil Son disse...

arnaldo: e o estudio do sergio mineiro com o renato (e tinha tb o sergio campanelli?) se chamava MCR, confere?

Patty Diphusa disse...

O pai da minha filha amava o trio. Assistiu vários shows. Mas eu só vi shows do Sá & Guarabira, sem o Zé Rodrix. Mas a gente curtiu os álbuns, mesmo assim.

Agora não sei se considero que foi mais um pedaço de mim embora ou se ficou um pedaço da dele em mim. Os dois fazem sentido.

Bjs

Neil Son disse...

patty: no youtube tem uns trechos legais dos shows de 'volta' do S,R&G, em 2001. dá lá uma conferida!