quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Águas plácidas


Artigo publicado hoje pelo 'Le Monde' afirma aquilo que os observadores atentos, livres do veneno dos aproveitadores e/ou da armadilha das idéias preconceituosas, já percebem há algum tempo:

"O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve uma visão 'bastante correta' ao dizer, no ano passado, que a crise no Brasil provocaria apenas uma marolinha", diz o jornal.

Em seu país, por conta da declaração da 'marolinha', Lula foi (mais uma vez) achincalhado e ridicularizado pela Folha, TV Globo e Estadão, enquanto a oposição (?!) se lambuzava em declarações sensacionalistas e catastrofistas.

E agora, dirão o quê?

21 comentários:

Patty Diphusa disse...

Que ele deu sorte, claro. Ou vc acha que vão admitir, em algum momento, que ele sabia do que estava falando?

bjs

Márcia W. disse...

Neil,
pegando carona na Patty, em que língua você quer que eles falem suerte, luck, chance, serendipity, WTF e quiçá c*g*d*?

Anônimo disse...

Neil:

Machiavelisticamente falando,o pensamento "Eu dou corda,e êles se enforcam",é bem cabível à exposição dos adversarios da esquerda,ao qual Lula os expôs.Lula se tornou(profissionalmente),um político de nível internacional.
Vide Sarney,Collor(agora transparente como "preto no branco),Delfin Neto,etc...
Lula até questiona meu amigo Gudin quando escreveu no Centro Acadêmico da Arquitetura Mackenzie:
"Lá se vão meus anéis,diz o refrão,mas meus dedos são dez,duas mãos..."(puta ironia reversível) condizente aos dedos de Lula(falta um,que é do próprio).
Enfim,reduzindo o conteúdo da resposta,uma vez que Blog é uma pseuda confraternização de idéias e que muitos fazem uma leitura dinâmica(anti postura de Nietzsche),digo-vos pois que Lulalá está me saindo nota 10!

Abraços amigos solidários(eu te entendo),

Günther.

jayme disse...

Básico e importante admitir (veja Mantega na Época): Lula tinha fundamentos para dizer o que disse. Herdados, todos sabem, do autor esquecido de toda essa solução: um cara chamado Pedro Malan. Mas há algo que é fundamental que seja dito, e em homenagem ao Lula: ele deu a cara pra bater quando falou da marolinha, apostou na equipe e no Brasil. Venceu. Valeu, para ele e para o Brasil.

hélio disse...

Neil, e não é que foi marolinha mesmo?!

Não foi adivinhação nem desejo do lula. A declaração foi em cima da matemática financeira real. Se o governo não tivesse estruturado seus gastos antecipadamente,
se não tivesse feito um bom caixa, estariamos agora, o povo e o Brasil, numa situação bastante delicada.

O Pedro Malan,Jaymão, fez sua tarefa bem feita no governo fhc, terá sua oportunidade novamente... quem sabe.
Se o governo lula não tivesse feito suas tarefas, não teria PMalan que resolveria os problemas criados, e aí sim a marolinha seria um devastador tsunami.

Estes caras que zombaram do lula e do Brasil, são aqueles que tiram proveito da situação, sempre. Os malandros esssperrrtos. Se eu tivesse estomago, Neil, gostaria de ver a cara do pavão da fiesp... e agora narigudo do mal?

anna disse...

eu não digo nada...

Neil Son disse...

patty: tá ficando cada vez mais dificil justificar tudo como 'sorte', vc não acha?

Neil Son disse...

marcia: tem muita gente que não quer admitir que o nordestino ignorante de 9 dedos acerte...

Neil Son disse...

gunther: interessante a estratégia maquiavélica que voce invoca no imbroglio lula/sarney/collor. não havia pensado nisso, mas faz todo o sentido!

Neil Son disse...

olha o jayme aí gente, ainda justificando os acertos de lula e sua turma, com aquele velho discurso da herança bendita. pô jayme, por 1 ou 2 anos ainda colava, mas no final do 2o. mandato, não dá mais pra insistir nisso, né?

Neil Son disse...

helio: pelo que sei, pavão não briga com tucano.

Neil Son disse...

anna: sei que vc tem coisas interessantes a dizer sobre o tema...

jayme disse...

Não, Neil, bons fundamentos não duram um ou dois anos, mudam um país definitivamente. E quem recebe o país mudado, se tiver juízo, colhe os frutos. É o caso do Lula.

Sibila disse...

Oi Neil,
foi marolinha e o Lula sabia disso porque desde o primeiro mandato o comércio exterior vêm obtendo grandes êxitos. Falavam que era em função do boom do mercado internacional. Qdo a economia americana degringolou, tínhamos diversificado as exportações - em relação ao gov FHC, crescimento de 40% c/ mercado africano; 55% c/ Europa; 29% c/ América Latina (2006). As exportações brasileiras diversificaram-se em termos de produto exportado: deixamos de apenas exportar commodities agrícolas e minerais p/, por exemplo, exportar tecnologia - crescimento de 30% (tb 2006)
Lula sabia do que estava falando, sim. Ah, e o mercado interno num crescendão.
As outras conseqüências disso, como a ambiental, sobre povos indígenas, concentração dev terras no Centro-Oeste etc é um outro assunto, bem sério, mas outro.
Beijos
PS: Esses dados aí são de um artigo publicado pelo economista Alessandro Teixeira que, em 2006, era presidente da ABDI.
Nem Marx, nem Weber, mente solta, música, prosa e poesia!!!

Sibila disse...

Se dá pra diminuir os erros em tempo, vamos lá: na 2. linha é `vem` e não `vêm`, ok?

Neil Son disse...

jayme, refrescando a memória: lula recebeu um país falido de fhc inflação alta e subindo, divida externa ferrada, FMI, escandalos de privataria etc. ainda por cima, desconfiança e sabotagem do 'mercado'. verdade ou mentira?

Neil Son disse...

valeu, sibila! matou a cobra e mostrou o pau! opa...

Anônimo disse...

Neil:

...Ao invés de acabar em pizza,vai acabar em festa-baile cinematográfica.Da "Ópera do Malan",ao filme preferido do Mantega:"O Último Tango em Paris".
He,he,he...

Günther.

Neil Son disse...

hahaha, muito bom, gunther!

Arnaldo disse...

Lula tem prestígio internacional e os nossos jornalões não suportam isso. Na verdade, eles adoravam acreditar nisso na época do Collor falando aquele constrangedor Portuñol ou quando o Fernando Henrique adorava posar de professor da Sorbone, coisa que nunca foi. Mas quando Lula recebe um elogio de Obama, a melhor estratégia é a de desqualificar Obama. Não estão suportando isso.

Neil Son disse...

é isso mesmo, arnaldo!