quinta-feira, 26 de março de 2009

Novos tempos


Na semana passada, em um seminário para empresários americanos possivelmente interessados em investir no país, o presidente do México, Felipe Calderón, surpreendeu a platéia ao dizer que "os EUA deveriam investigar a corrupção na CIA e no FBI, porque é essa praga que ajuda a explicar porque é tão difícil lutar contra as organizações criminosas de traficantes de drogas que atuam no México. Enquanto existem vários policiais mexicanos de alta patente na cadeia, não tenho notícia de um único policial americano que esteja ao menos sendo investigado".

A reação irada de Calderón aconteceu em resposta à declaração de um diretor da CIA, de que "o México não controla seu próprio território" - alusão à verdadeira 'guerra das drogas' que está acontecendo na fronteira entre os dois países. Calderón ainda convidou o tal diretor da CIA a "visitar o México para ver como estamos trabalhando duro pra enfrentar um problema que não foi criado por nós e que é uma consequência do fato do nosso vizinho do Norte ser o maior consumidor de drogas e o maior produtor de armas do mundo".

Uau! Pegou pesado o tal do Calderón, hein? Gostei! Mas o mais interessante é que a Hillary Clinton aceitou o convite do presidente e foi ao México ontem. E olha só o que ela disse: "A nossa insaciável demanda por drogas alimenta esse comércio. E a nossa inabilidade para evitar que as armas sejam contrabandeadas pela fronteira provoca a morte de policiais, soldados e civis". Uau de novo! Já imaginou se ainda fosse o Bush no poder, como esse assunto seria tratado?

Eu já havia ficado pasmo com o pronunciamento do Obama, semana passada, sobre o Irã. Pela primeira vez na vida, vi um presidente americano completamente despido de arrogância e de empáfia, usando um tom coloquial, amistoso e receptivo pra se dirigir a uma nação que até outro dia era incluída no tal 'Eixo do Mal' do Bushinho. Clóvis Rossi chegou a escrever que não reconhecia ali um presidente dos EUA, mas sim o pai da Malia e da Sasha, falando com amigos na sala de casa.

Vamos esperar pra ver o que vem por aí de concreto, mas essa simples mudança de postura na (ainda) nação mais poderosa do mundo, me enche de satisfação.

17 comentários:

anna disse...

eles vão ter mesmo que cair do salto.
do jeito que tava num deu.

GUGA ALAYON disse...

pagando pra ver também...
abç

Patty Diphusa disse...

Parece que é consenso que do jeito que estava não dava mais. Espero que isso signifique um novo pensamento político geral.

Ah, yes, weekend.


Bjs

pecus disse...

Muito lôca essa placa com os imigrantes ilegais fugindo dos tiros dos neo-minutemen.

Neil Son disse...

quanto maior a altura, maior o tombo né anna? o obama vai ter que ser muito forte pra segurar o tranco.

Neil Son disse...

quero ver também, guga, mas num to disposto a pagar nada...

Neil Son disse...

e parece que o lula tem um papel importante nesse 'novo pensamento político', patty.

Neil Son disse...

pois é, pecus. em um 1o. momento, parece que a placa alerta para pedestres atravessando a estrada; mas é bem claro: eles estão é fugindo da policia da fronteira.

anna disse...

ahahah! achei que a placa significava lugar de muuuuito vento...

Neil Son disse...

hahaha, anna! a placa do vento é aquela que tem um coqueirinho torto! hahaha!!

Anônimo disse...

essa placa de beira de estrada é nova, e aquela que mostra um sãopaulino, já viram?

e só deu o lulalana folha hj, várias matérias com fotos e fases eloqüentes... gostou Neil?
eu gostei... acho que votava nele novamente.

abraço,
parangolé

jayme disse...

Obama talvez seja menos diferente do que a gente gostaria (vide Afeganistão), mas é realmente bem diferente, não só do Bushinho, mas do jeito arrogante de ser dos presidentes nortamericanos.

Selena Sartorelo disse...

Olá,

Espero que não se importe, mas se se importar espero que fale. Copiei esse selo sobre comentários em posts antigos..sempre quis achar um jeito de dizer isso, e achei aqui.

Equanto isso temos o Lula o Obama...ai como eu gostaria que o presidente Lula fosse lembrado por referências dessas semelhanças e não pelos fóras homéricos que ele dá o tempo todo, mas é o que temos como presidente..não me sinto em condições nem sequer de falar sobre o Obama...

Neil Son disse...

jayme, tem razão, mas devemos dar um desconto e ter paciência. afinal, não deve ser nada fácil mudar aquilo lá...

Neil Son disse...

selena: o selo está aí pra ser copiado mesmo. e os 'foras' do lula não me incomodam, não tem relevancia diante de tudo o que ele tem feito pra realmente mudar esse país, e diante do que ele representa em termos internacionais.

Marina Morena disse...

UAU! e UAU pro blog também!
Demais estas últimas semanas. Estive sem visitar por uns tempos, mas hoje li tudinho. Muito bom! =)
Bjs

Neil Son disse...

legal marina! não desapareça!