terça-feira, 18 de setembro de 2007

Os Grandes Imbecis


Coisa mais irritante é perceber que alguém gosta de certo filme, música ou livro, porque é de ‘bom tom’ gostar - faz a pessoa se sentir ‘in’... Pra mim, tem pouca coisa que represente imbecilidade maior do que isso. Vejam por exemplo o caso de ‘O Grande Chefe’, filme do incensado diretor Lars Von Trier – o mesmo de ‘Manderlay’ e ‘Dogville’. O filme é de uma chatice sem tamanho... arrastado, sem graça (tem a intenção de ser uma comédia), desagradável, enfadonho, interminável. Mas a ‘obra’ recebeu 4 estrelinhas da Folha, e as sessões da Sala UOL, em Pinheiros, estavam lotadas. O público, em geral, saía com cara de ‘xi, achei uma merda, mas não posso dizer isso’. Já eu, digo com todas as letras: PUTA FILME CHATO!!.Tem um outro exemplo que agora me ocorre, de filme chatésimo e aclamado pela crítica, provavelmente por se tratar de obra do bom diretor Wim Wenders: ‘O medo do goleiro diante do pênalti’. Nossa! Esse é hors concours na escala do IN-SU-POR-TÁ-VEL!! O pior é que há filmes que foram e continuam elogiadíssimos, aclamados como verdadeiros clássicos, mas que não resistem a uma segunda visão. Exemplo? ‘Profissão: Repórter’, de Michelangelo Antonioni. Uma boa amiga me emprestou o DVD em questão; não via o filme desde a época em que foi lançado, no final da década de 70. Tem Jack Nicholson e Maria Schneider nos papéis principais, a paisagem impressionante do deserto no Marrocos, mas... o filme envelheceu, ficou datado, cabeção demais pro meu gosto atual. Depois de 2 horas e meia sentado em frente à TV, só me ocorreu pensar que minha próxima sessão em DVD deve ser pra assistir ‘Os Transformers’...

24 comentários:

Maria Amélia disse...

Aí, seu Marcio
Arrasou!!! Esse comentário sobre os filmes é a sua cara. Tenho que confessar: é corajoso pra caramba. Deve estar assim ó de cabeção querendo atirar pedra no autor. Não por acaso é o post que não tem réplica até agora. Eles devem estar elaborando uma tese pra te contestar. Posso nem concordar, mas ri pra caramba. Muito bom.
Maria Amélia

peri s.c. disse...

Ninguém é 100%, a maioria não é nem 60%. Portanto a mais esperta das artes é a pintura, telas ruins podem ser reutilizadas, rasgadas, escondidas no porão ou atrás do armário, presenteadas a um desafeto.

Neil Son disse...

hehe, pois é mélia, e olha que eu nem falei mal, ainda, do último show do chico buarque, da voz de batata da monica salmaso, ou da obsessão do cinema nacional pela dupla wagner moura e lazaro ramos. são bons atores, mas só tem eles fazendo cinema no Brasil?? Mto bom ter vc por aqui; volte sempre

Neil Son disse...

Peri, o duro é qdo você ganha uma 'obra artistica' de algum amigo, esconde a porcaria no quartinho dos fundos e inesperadamente o presenteador aparece pra uma visita surpresa...

peri s.c. disse...

Neil, já aconteceu comigo e nestas horas,se for pintura , faça uma cara de paisagem.

anna disse...

caro son, também humor de dinamarques gozando de norueguês ou vice-versa, é como ver filme produzido em marte.

e o barbudo tem uma cara tão conhecida, ná tem?

Neil Son disse...

é anna, o barbudo é a cara do tonhão, dono de uma mecânica perto de casa..

anna disse...

certo, son, deve ser mesmo...

franka disse...

ai, cadê meu comentário que estava aqui?

jayme disse...

Ah, não posso deixar de acrescentar a essa lista "Duas ou Três Coisas Que Eu Sei Dela", do Godard, um dos filmes mais chatos jamais produzidos pela indústria do cinema, é um "Dez Mandamentos" da chatice.

Ron Groo disse...

Olá Neil...Como Young? Ou como Diamond? Não importa... Lí seu blog, gostei muito apesar de não entender muito de cinema. Algo sobre Mastroianni, Fellini... Coisinhas.
O texto sobre você me lembrou coisas muito legais dos 'beatiniks', principalmente outro dos Neil (alías este era Neal) Cassidy. Gosto deste tipo de poêsia. Gostei muito, logo vou por um link em em blog direto pra cá e recomentar.
Abraços e bom trabalho.
Ron Groo
www.bliggroo.blig.ig.com.br

Neil Son disse...

jayme: mais um pra lista dos filmes mais chatos de todos os tempos - Benjamin, da M.Gardenberg. Que porre!!

Neil Son disse...

ron groo: obrigado pela visita e pelos elogios. e... neil young, é claro! forever young!

Ana Téjo disse...

Neil,
Também tenho dessas. Enquanto lia seu post, fiquei pensando nos piores filmes da minha vida. Um deles era um francês chamado "Trop belle pour toi", com o Depardieu. Suponho que tenha batido um vento no set durante as filmagens, que bagunçou todo o roteiro e ninguém se deu ao trabalho de restituir a ordem. Um horror.
Outro, italiano, foi indicado para a Palma de Ouro de Melhor Diretor do Festival de Cannes de 1976. O nome é "Vícios privados, virtudes públicas". Foi a única vez em que me lembro de ter saído do cinema no meio de um filme. Argh!

Neil Son disse...

ana tejo: a lista dos filmes avalizados pela crítica e por um certo público, mas que são 'roubadas' totais, não para de crescer... agora mesmo, me ocorre mais um: 'A Bruxa de Blair'. obrigado pela visita, ana!

pecus disse...

Muito das virtudes da arte experimental é justamente ser experimental, isto é, testar e expandir os limites da linguagem.

Neil Son disse...

é, vc tem razão pecus, mas ultimamente to mais pra 'transformers' do que pra godard. os experimentalistas devem, é claro, continuar com seus experimentalismos, mas enqto isso, fico no boteco ao lado, tá bom?

ricardo disse...

Pra mim, um dos piores filmes de todos os tempos (e olha que eu gosto de algumas coisas de Godard, amo Bergmann, adoro Antonioni - viu, uncle Neil? - aqueles shakesperianianos soviéticos com Innokenty Smoktunovski - putz, acho que estou meio bebum), e que foi aclamado pela crítica, atende pelo título de "Sicília".
Ficou quase um ano no recém inaugurado (à época)HSBC Belas Artes. Acho que faz uns oito anos.
Nada acontece no filme inteiro! Uma viagem pachorrenta de trem de uma cidade da península italiana até a Sicilia; em preto e branco. Um tédio só. Quando está chegando à cidade, acaba o filme... Um professor doutor da PUC me disse que é o anti-Hollywood! pelo amor de deus, se formos depender disso para desbancar o imperialismo, we're all fucked! Essa minha descrição mesmo está deveras enfadonha.
Fico por aqui: se for falar dos filmes ruins (e aclamados), o Oscar é prato cheio! poucos laureados ali se salvam.

Marcia disse...

E o Manderlay, você viu? É bom?

Seja bem vindo Marcio :)

Neil Son disse...

ricardo: aliás, em matéria de filme chato, o cinema da ex-URSS é pródigo em exemplos, né? Valeu pela visita, merrmão!

Neil Son disse...

marcia: depois do 'Grande Chefe', o 'Manderlay' entrou rapidinho praquela minha lista do 'não vi e não gostei', hehe... volte sempre!!

GUGA ALAYON disse...

Vi Dogville e achei "dos melhores'. Vc viu?
Quero saber sua opinião para resolver se vou ver "O gde chefe" ou "Transformers".
abç

Neil Son disse...

guga: não vi 'dogville', mas entre 'o gde chefe' e 'transformers' não teria nenhuma dúvida´- é o trash divertimento na cabeça!

parangolé disse...

esse filme é PÉSSIMO!
parabéns pelo blog!