sexta-feira, 15 de agosto de 2008



Na última hora, sem esperar e nem pedir nada, eis que surgiu ontem a incrível oportunidade de assisitir, NA FAIXA, ao show do João Gilberto. E mais: na primeira fila!

Atraso de mais de 1 hora e meia. Expectativa no ar: será que ele vem ou não vem?



Veio. E cantou por quase duas horas. Maravilhosamente.

Compreender tal coisa talvez seja difícil para os mais céticos (ou menos sensíveis?), mas João trouxe, mais uma vez, interpretações absolutamente novas, inusitadas mesmo, com sutis e geniais nuances vocais e ritmicas para muitos de 'seus' clássicos. Entre eles, 'Disse Alguém (All of Me)', 'Caminhos Cruzados', 'Retrato em Branco e Preto', 'Samba de uma Nota Só', 'Wave', 'Estate' e ´Você Já Foi à Bahia?´. Nessa última, chegou a transformar a parte que diz '...olha só o remelexo que ela sabe dar, olha só o requebrado...' em um surpreendente cantofalado percussivo - um incrível rap-zen-baiano-bossanovístico, se é que isso é possível.

Saí (saímos, saíram...) em estado de graça.

16 comentários:

jayme disse...

Ah! Perdi!
Será que a gravadora dele registrou?

Neil Son disse...

não, jayme. sem registros. aliás, ele não tem gravadora. e mais uma novidade: não sei se é a idade, mas ele agora depurou ainda mais a técnica 'minimalista'. seus números musicais duram no máximo 3 minutos. algumas músicas têm apenas 1,5 ou 2 min. eficiência concentrada, foco total, desperdício zero. uma aula. de novo.

Neil Son disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
peri s.c. disse...

Neil
Toda noite você deve fazer orações, de qualquer tipo, desejando uma longa vida a seus amigos.....eh, eh, não são fracos.

anna disse...

peri's, na realidade o neilcio tem como sobrenome setubal. ele detesta alardear isso porque imagina os mui amigos que iriam colar nele.
enfim, a noite ontem eram prôs convidados do papy, ou melhor do itaú.

Neil Son disse...

peri e anna: na verdade, em uma festa black-tie, os meus amigos sempre são os blacks; nunca os tais... ainda bem, né?

Patty Diphusa disse...

Imagine se fossem os tais, os blacks já te arranjam cada bocada...Boa essa, adorei.

bjs

Neil Son disse...

patty: na verdade, os blacks é que são os tais!

peri s.c. disse...

ah, ah, ótimos comentários.

Lord Broken Pottery disse...

Certa ocasião, muitos anos atrás, fui assistir a um show do João no Tuca. O baiano se apresentaria com a Nara Leão. Depois de mais ou menos uma hora de espera, a saudosa cantora apareceu meio sem graça. Disse que o Joã Gilberto estava bravo pois com o clima úmido, chovia muito no dia, não conseguia afinar o violão como queria. Não iria cantar mais. Quem não quisesse ficar poderia pegar o dinheiro do ingresso na bilheteria. Ela comprometia-se a fazer o show sozinha. Fiquei. Foi uma das melhores apresentações que vi ao vivo. A Nara, alé de ter joelhos lindos, era incrível. De lá para cá peguei um pouco de birra do maravilhoso músico. Compro os CDs, ouço sempre com encantamento, mais não voltei a comprar ingressos para assistí-lo.
Grande abraço

Neil Son disse...

nem eu voltei a comprar ingressos pra assisti-lo, hehe... abração, lord!

Amèlie disse...

Guri,

tu é um agraciado! E olha, estes momentos ficam eternizados e o estado de suspensão demora a passar!

Beijos!

Amèlie disse...

Há tempos leio.
Linkado hoje!!!

valter ferraz disse...

Neil,
fazer o público esperar uma hora enquanto ele janta no hotel parece-me o mais descarado pouco caso, muito além de virtuosismo ou coisa que o valha.
O espírito subserviente do distinto público não deixa que ele perceba quando lhe colocam a cangalha no lombo.
Ops! esquecí que estou fora de minha casa.
Abraço forte

Neil Son disse...

é isso aí, amelie! valeu pela visita e pelas palavras. vou lá te visitar também!

Neil Son disse...

não havia 'espírito subserviente' por parte do público. esperar 1h e meia por j.gilberto não incomodou niguém; afinal, todos sabiam os momentos mágicos que estavam prestes a presenciar. e essa coisa não tem esse peso todo não... relaxa, meu caro. afinal, ter a companhia do agnaldo timóteo em termos de opinião - ou de qualquer outro jeito - não é bom pra ninguém...