quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Cacildis!!


Ontem, na hora do almoço, em apenas duas horas, acho que choveu tudo o que não havia chovido aqui em Sumpaulo - em quase 50 dias!

E o Chico cachorro, coitado... quase viveu a infeliz experiência de se afogar em pleno 12o. andar!

17 comentários:

peri s.c. disse...

SP é grande mesmo, choveu "pros" teus lados. Nos meus, do temporal,só o emporcalhante pé-de-vento, pé tão grande que parecia do Abominável Homem das Neves (adequado, enfim estamos em pleno e senegalesco inverno).

franka disse...

juro que não entendi como isso pode acontecer, um cachorro afogar no 12*. favor explicar passo a passo.

GUGA ALAYON disse...

Talvez no G12. Quantos andares de garagem tem seu chatô?

anna disse...

puta mêda dá essa foto.

tenho pavor de trovão e chuva muito forte.

foi a prova de fogo, esse chuvão com ventania, prô telhado refeito. não pingou nada dentro da edícula.

agora é esperar a umidade sumir e chamar a moçada prá dar uma demão nas paredes.

jayme disse...

Anna, conte com este modesto pintor. Neil, compartilho a curiosidade com a Franka.

Neil Son disse...

peri, me lembrei dessa maravilha de letra, de mestre alceu valença:

'Descida da Ladeira'

Eu só acredito
Em vento que
Assanha cabeleira
Quebra portas e vidraças
E derruba prateleiras
Se fizer um assobio esquisito
Na descida da ladeira

Eu só acredito em chuva
Se molhar minha cadeira
De palhinha na varanda
Minha espreguiçadeira
Se fizer poça na rua
Acredito nessa chuva de peneira

Eu só acredito em lama
Se for escorregadeira
Como casca de banana tobogã
De fim de feira

Alceu Valença já não acredita
Na força do vento
Que sopra e não uiva
Na água da chuva
Que cai e não molha
Já perdeu o medo de
Escorregar

Neil Son disse...

é o seguinte, franka: deixei uma fresta de porta da varanda aberta. chego em casa no final do dia, tá o cachorro encarapitado na escadinha e a sala completamente alagada - fiquei duas horas pra tirar toda aquela água.

Neil Son disse...

são dois andares de garagem, guga - curiosamente 1S e 2S no elevador, mas ficam acima do térreo. nunca entendi isso...

Neil Son disse...

a foto é mesmo assustadora, anna... e o pior é que to vendo que teremos repeteco hoje.

Neil Son disse...

curiosidade aplacada na resposta à franka, caro jayme.

jayme disse...

Estamos em pleno repeteco.

peri s.c. disse...

1. Bonita letra, Neil, a do Alceu.
2. 1º e 2º S, porque ninguém entenderia um " térreo" no 3º andar, ah, ah.

valter ferraz disse...

Márcio,
e meu filho Pablo trabalhando de moto em plena tempestade. Coisa de louco, não?
Coitado do Chico. Ninguém merece, além de encharcado, os trovões.
Abraço

Ana Clara disse...

A vingança da natureza!

Neil Son disse...

sim, aninha, mas depois da tempestade, vem... o post de cima!

Cynthia disse...

Eu fiquei foi com invejinha. AMO chuva. De todo jeito, mas principalmente dessas bem geladas e cheias de vento, trov�o e raios... ser� coisa de doido ? Eu culpo o DNA nordestino, o clima ultra-seco do meu planalto central e at� Ians� minha m�e (epahei)...

;o)

Neil Son disse...

meu DNA tb tem um componente nordestino, cynthia - eu gosto de frio, mas sem chuva... volte sempre!