quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Desafinando o coro dos (des)contentes


Depois de dez dias sem Internet, jornal ou televisão, cheguei em casa e fui decupando a pilha de jornais acumulados. Deparo-me, entre outras coisas, com duas interessantes cartas publicadas no Painel do leitor da Folha de S.Paulo. Para ler e refletir.

1º de janeiro de 2008
Oposição
"2007 foi o ano das oposições. A grande mídia inventou, valorizou boatos, ameaçou, chacoteou e tripudiou o que pôde sobre o governo federal. Os ricos fomentaram a discórdia e distribuíram falácias. O Congresso Nacional votou contra a saúde, a dignidade, a segurança, a educação, as estradas, o PAC e a transposição do rio São Francisco. Apesar de tudo, o país cresceu além das expectativas, a safra agrícola foi a melhor dos últimos dez anos, a dívida externa caiu 30%, a inflação está sob controle, as vendas de fim de ano cresceram 20%, a dívida interna é a menor desde 1998, a taxa de desemprego despencou, os juros são os mais baixos das últimas décadas, o número dos que viviam na miséria foi reduzido drasticamente e, por tudo isso, a aprovação de Lula não pára de crescer. Enquanto isto, PSDB e DEM perderam representantes em todos os cargos e seu líder FHC amarga a maior rejeição popular que um político brasileiro sofreu até hoje: 55% -nem Paulo Maluf e ACM foram tão rejeitados. Condolências às oposições, à mídia e aos poderosos, que em 2007 torceram histericamente pelo "quanto pior melhor", e parabéns ao povo brasileiro, que aprendeu separar o joio do trigo."
JEFERSON MALAGUTI SOARES (Belo Horizonte, MG)
2 de janeiro de 2008
Governo Lula
"No melhor ano da história do Brasil dos últimos anos, o Brasil teve recorde nos empregos, no PIB, na produção e venda de automóveis, no crédito, na construção civil, nas exportações, nas reservas internacionais, nas vendas do comércio e na arrecadação do governo federal (sem aumento de impostos). Tantos recordes conseguidos por um governinho do presidente Lula, aquele mesmo, torneiro mecânico, nordestino, o presidente que não tem diploma de curso superior. Parece que muitos já se esqueceram dos absurdos reajustes nas tarifas públicas dos anos FHC, das duas vezes em que o país quebrou e teve de recorrer ao FMI. E o salário mínimo? Parece que já se esqueceram do salário mínimo por volta de 70 dólares da época FHC, que agora se mantém acima de 210 -o triplo. Neste quinto ano de governo começam a surtir resultados as medidas tomadas no primeiro. A vida de muitos brasileiros melhorou, sim. Parabéns ao povo brasileiro, que soube escolher e manter o sr. Luiz Inácio Lula da Silva, tantas e tantas vezes injustiçado e desrespeitado. Feliz Ano Novo para todos."
CRISTIANO JUVENTI (Rio de Janeiro, RJ)

6 comentários:

franka disse...

você leu os jornais velhos??????
sério??????

Neil Son disse...

sempre faço isso, franka. em meia-hora olhei todos os cadernos de todos os jornais, separando o que poderia me interessar. e em mais duas horas, dei conta de tudo.

GUGA ALAYON disse...

uma faca de 3 gumes.
Lula lá.
abraços

Neil Son disse...

uma faca de 3 gumes pra se segurar com 4 dedos, Guga.

Patty Diphusa disse...

É Neil, o homem é dose mesmo, difícil de desarticular, derrubar então...adoro isso. Bjs.

jayme disse...

Eu já me enchi um pouco de falar a mesma coisa, mas lá vai: consideradas as conjunturas, o governo Lula e o governo FHC são os mesmos. O atual surfa no sucesso do anterior e, se Deus quiser, assim será no próximo governo, caso o Brasil tenha a sabedoria de mais uma vez pedir a Ciro Gomes que espere mais uns 60 anos para ser presidente. O resto é disputa de torcida, muito longe da discussão política razoável.