quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Da vida moderna


Caroline Pivetta da Mota, 23 anos, está presa há mais de quarenta dias. Carol da Susto's, como é conhecida pelos amigos, foi uma das cerca de 40 pessoas que, no dia 26 de outubro, pichou as paredes da 'Bienal do Vazio', como ficou conhecida a insípida e verdadeiramente esvaziada última edição do evento que já foi famoso no mundo todo. 'Picho para o povo olhar e não gostar', foi uma das declarações de Carol. E outra da moça: 'A gente não queria estragar as obras, mesmo porque não tinha obra. A obra nós é que íamos fazer.' Ontem, o ministro da cultura Juca Ferreira ligou pro governador Serra e pro presidente da Bienal, Manoel Francisco Pires da Costa, pedindo a 'intervenção imediata de ambos para a soltura da menina'. Ao ouvir respostas simpáticas porém evasivas, disparou: "É um escândalo uma pessoa ficar presa esse tempo todo porque fez uma intervenção gráfica. Caso ela não seja libertada, o ministério vai deflagrar uma segunda fase, dando assistência jurídica a ela, no sentido de garantir a sua defesa'. A atual advogada de Carol disse que ela só continua presa por não ter conseguido comprovar residência fixa, tampouco ocupação legal. Dependendo do julgamento, Carol pode ficar presa até a próxima Bienal, em 2010, já que foi autuada no artigo 62 da lei de crimes ambientais, que prevê pena de um a três anos.



Interessante esse caso, pela quantidade de questões que levanta: a eterna discussão grafite x pichação, a validade da intervenção na Bienal do Vazio, a pinimba entre os poderes federal/estadual, o conceito de 'intervenção gráfica', o ridículo da comprovação de residência fixa/ocupação legal. Aqui deu só esse post, mas acho que daria pra fazer um longa, só com essa história...

27 comentários:

Patty Diphusa disse...

Imagino uma cena do filme, o vampiro recebendo a ligação do atacado e cuspindo fogo. E onde ela está presa mesmo? Deve ser interessante ver o que ela pichou por lá.

Mas a história é "cabulosa", como diz o Gabriel.

Bjs

anna disse...

impressionante essa história. os curadores atiçam e não aguentam o tranco?

com tanto ladrão por aí nas ruas, dentro das delegacias, das câmaras prá ser preso!

Márcia W. disse...

Márcio,
pichação X grafite eu entendi mas ...crime ambiental ???
Precisou o ministério se envolver? Ninguém da bodega da bienal interferiu? bienal do vazio ou buraco negro na cabeça dessa gente?

Neil Son disse...

patty: a foto aí em cima mostra parte da pichação; e ela tá presa no presídio feminino aqui de sp.

Neil Son disse...

tem razão, anna: o vazio é sempre um convite à ocupação. até a física explica.

Neil Son disse...

marcia, é a bienal que tá processando a menina; e a tal lei do crime ambiental inclui o 'dano ao patrimônio público'.

peri s.c. disse...

Absurda essa história.

No máximo, uma boa e educativa maneira para tratar pichadores seria colocar em suas "criativas" mãos uma bela e latejante brocha e fazê-los pintar inteirinhas as paredes pichadas, sem direito a refeições antes de acabar. No décima parede a ser repintada acho que eles teriam uma súbita iluminação e iriam pensar em aprender a desenhar para, quem sabe, virar grafiteiros.
Como diria o Nonno S.C., com sua sabedoria lapidada por anos a fio colhendo café e capinando o campo, "manda eles pegarem num cabo de enxada prá ver o que é bom prá tosse".

No caso, como se trata da bienal, em vez da brocha, um serrote, esquadro, pregos e martelo. Com isso teriam que fazer molduras de 30x30cm para ir "enquadrando" toda pichação feita.Educação pela arte e para a arte.

pecus disse...

Apoiado. Peri para vereador.

Neil Son disse...

peri: mas deixando um pouco de lado a questão pichação x grafite, vc não acha que é bem interessante a idéia da intervenção nessa bienal do vazio?

Neil Son disse...

pecus, por que a lei de crime ambiental inclui o dano ao patrimonio publico? e o que seria uma ocupação legal e uma residencia fixa? não são conceitos ultrapassados?

Patty Diphusa disse...

Eu vi a foto, Neil. Mas ela teve pouco tempo para ocupar esse vazio e agora tem muito mais tempo, involuntariamente.

História doida do começo, meio, e nem saberemos qual será o final.

bjs

Neil Son disse...

enquanto isso, patty, o PM que matou aquele menininho no rio, foi absolvido...

Neil Son disse...

ah! e tenho o palpite de que a menina foi presa qdo ia escrever o A do FORA SERR... (vide foto). hahaha!!

peri s.c. disse...

Pecus
Conto com seu voto e honrarei seu sufrágio com uma conduta impoluta e sem jaça.

( êta )

peri s.c. disse...

Neil
Essa Bienal do vazio é uma demonstração do vazio da cabeça de seus autores/curadores que sempre aparecem mais que os artistas.
Sou contra essas pichações que emporcalham a cidade ( clara demonstração da indigência mental-instrumental de seus autores ), mas acho que uma blitzkrieg noturna de um bando de grafiteiros ensandecidos, pintando tudo,inclusive os vidros os pisos,os tetos, até os sanduiches da lanchonte, seria muitíssimo interessante.
Aliás cadê nossos artistas, muito mais chegadinhos numa chique vernissage do que em incomodar a babaquice reinante. Que tédio.

Anônimo disse...

Neil:
Lembrando nossos avós,a menina foi de "corpo" e "obrou";as autoridades estão indo "de corpo" e "obrando".Se limparem tudo fica o vazio.
É uma bianal...Entendí.

Günther.

Vivien Morgato : disse...

"enquanto isso, patty, o PM que matou aquele menininho no rio, foi absolvido..."

Pois é, esse contraste já diz tudo.
Tb achei a bienal insípida e eu mesma quis escrever cosias lindas naquelas paredes brancas, tais como "vcs são uns filhos da puta..!", mas me contive.
Acho que o tal vazio é uma afronta tão grande quanto a arte/sujeira da pentelha-pixadora.
Mas, enquanto isso, o tal pm que estraçalhou o garoto teve o resultado insólito de "lesão corporal leve , no cumprimento do dever".

Neil Son disse...

e a pichadora, vivien, acabou virando o fato mais importante dessa bienal 'de mierda'...

jayme disse...

1. Essa comparação "ah, tem tanto criminoso solto, foram prender logo a menina" é um desvio perigoso. Fazer a hierarquia dos soltos e montar uma fila com esse critério piorará muio o que já é ruim. 2. Essa turma (bando, quadrilha) que pichou a Bienal é a mesma que invadiu a galeria da Mariana Martins e destruiu obras expostas lá, pelo simples anseio de manifestar de seu niilismo incontinente. 3. Quem faz esse tipo de cagada tem de estar preparado para a volta. Senão, é melhor ficar em casa. 4. Essa moça niilista, essa agora tadinha, foi a pessoa errada no lugar errado. Virou exemplo, o que é uma coisa complicada, mas recorrente -- e muitas vezes necessária -- em uma organização social. Tá sendo castigada pelo que significa, talvez mais do que pelo que fez. 5. Se a prisão dessa boboca servir para intimidar um só que seja de seus amiguinhos, valeu. 6. Na dúvida, pintou sem autorização, é pichação. 7. Tomara que, solta, essa menina niilista ache algo melhor para fazer na vida do que estragar o patrimônio público.

Sibila disse...

Nossa chegou o legalista, o dos Direitos Universais ao contrário, ou pura e simplesmente - de um uni-verso. Tábula rasa. Viva a prisão - igual direito a todos os legais, ilegais; não esqueça os quase legais.

Anônimo disse...

Coincidência. Estou escrevendo um roteiro sobre pichadores. E apesar de adorar o Jayme discordo completamente dele.
Acho que a pichação tem uma estética super interessante. Além de ser bastante útil, ao lembrar as pessoas que São Paulo não é o paraíso que a classe média gostaria.
O caso da Bienal é bastante específico e nada tem a ver com as gangues, que picham os prédios.
Já ouvi uma versão que a Choque Cultural foi pichada "sob encomenda". O que eu não duvido nada.
Os quadros pichados foram vendidos a peso de ouro na Europa.
A pichação de São Paulo tem uma característica única no mundo. E já foi tema de vários livros.
Voltando à Bienal... não foi muito diferente da galeria. A pichação e a prisão da menina (que eu acho abusurda) renderam muito mais discussão do que as obras "oficiais".

teca disse...

o "anônimo" sou eu, a Teca Eça (amiga da Rifka)
beijo

Neil Son disse...

teca: também adoro o jayme, mas to contigo nessa história. valeu pela visita. volte sempre!

Anônimo disse...

voltarei sim. por sinal, sou fã do seu filho. li um comentário dele no blog do Jayme, que eu achei o máximo. Ele tem um blog?

Neil Son disse...

tem sim, teca. trata-se do ótimo 'afroências', primeiro entre os linkados na coluna aí da direita.

Arnaldo disse...

Concordo com o itm 1 da resposta do Jayme. Também não gosto dessa coisa de ficar comparando quem tá solto e quem tá preso, até porque, isso traz o perigo de fabricarmos uma régua e qualquer critério pessoal vai virar referência pra saber quem é que deve estar preso e quem é que deve estar solto. Eu, por exemplo, se tivesse que escolher apenas um, acho que o Daniel Dantas merece mais a cadeia do que este PM (embora ambos mereçam).

Discordo, entretanto, que esta menina tenha ficado tanto tempo presa, mas é por que eu discordo que tanta gente esteja presa no Brasil. Na verdade, tem muita gente que está na cadeia e que deveria estar solta, mas nós da classe média não temos olhos pra eles.

Uma última questão: Por que não ligaram para o Gilmar, aquele ministro do Supremo que é tão rapidinho em conseguir habeas corpus para os fracos e oprimidos? Pode ligar até nos finais de semana que ele atende. Ele é muito compreensivo.

Neil Son disse...

arnalso: eu nào comparei quem tá preso e quem tá solto - e concordo totalmente contigo nesse ponto: criar uma régua pra isso é um perigo.