sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Musas de Qualquer Estação


Grande dama do cinema francês, símbolo de elegância e talento, Catherine Deneuve nasceu em Paris, em 22 de outubro 1943. Filha de atores, estreou no cinema com apenas 14 anos, mas só despontou mesmo em 1964, com seu inesquecível desempenho em Os Guarda-Chuvas do Amor, de Jacques Demy. No ano seguinte, viveu a atormentada Carole Ledoux em Repulsa ao Sexo, de Roman Polanski, e alcançou a fama mundial como atriz cult e símbolo da beleza francesa, com os papéis vividos em A Bela da Tarde (1967) e Tristana (1970), duas obras-primas de Luis Buñuel. Antes, em 69, ela havia protagonizado A Sereia do Mississipi, de François Truffaut, com quem também filmaria O Último Metrô, em 1980. Atuou ao lado de todos os ícones do cinema francês – Yves Montand, Jean-Louis Trintignant, Alain Delon, Jean Paul Belmondo... - e viveu grandes romances com Roger Vadim, David Bailey (fotógrafo de moda que inspirou o personagem de ‘Blow-up’, de Antonioni), Truffaut e Marcello Mastroianni, pai de sua filha Chiara, também atriz.

Em 1983, Deneuve formou um dos vértices do tórrido triângulo vampiresco/amoroso, completado por David Bowie e Susan Sarandon, no interessante Fome de Viver (de Tony Scott). Ganhou diversos prêmios Cesar (o Oscar francês), um deles pelo belíssimo Indochina (de Régis Wargnier, 1992). Outros destaques mais recentes em sua carreira cinematográfica: Dançando no Escuro (de Lars von Trier, 2000), Oito Mulheres (de François Ozon, 2002, e com Isabelle Huppert, Emanuelle Beart e Fanny Ardant, entre outras) e Um Filme Falado (de Manoel de Oliveira, 2003, e com John Malkovich). No Brasil, acaba de estrear Um Conto de Natal, comédia francesa de humor negro dirigida por Arnaud Desplechin e em que, pelo que soube, Catherine Deneuve está excelente. Sem dúvida, uma ótima sugestão pra quem ficar por aqui neste final de semana.

10 comentários:

Márcia W. disse...

Márcio,
Ela é realmente incrível: não só super talentosa mas acho também corajosa (ia falar peituda, mas não queremos duplos sentidos. Ou queremos?) na escolha de papéis. Já podia há muito ter deitado na cama macia da fama, do caminho fácil, mas está sempre encarando alguma coisa provocadora. E sim, verdade que ela está ótima no Conto de Natal.

anna disse...

sem dúvida, uma musga.
dos filmes das antigas tenho predileção pelo la belle de jour e o fome de viver.
sei lá porque (ou por que?)penso que essa senhora atrás de toda alta costura que veste, é loquinha de pedra.

GUGA ALAYON disse...

FELIX FINDIS TUDIS MUNDIX!

Neil Son disse...

é marcia, a deneuve, definitivamente, não é do tipo 'cria fama deita na cama'.

Neil Son disse...

também tenho essa mesma impressão, anna.

Neil Son disse...

felix prosex tambenis, guga!

Patty Diphusa disse...

Grande dama mesmo. E um belo exemplo de alguém que sabe envelhecer com classe. E talento, claro.

Anna, também gosto muito dela em Fome de Viver, junto com a Susan Sarandon.

Neil e Anna, um super 2009 pra vcs e vamos ver se conseguimos, finalmente, tomar aquele chopp, não?

Para todos, boralá. Boas vibrações.

Bjs

Armando Maynard disse...

Idade+talento+beleza = Catherine Deneuve caminha para ser a velhinha mais bonita do cinema francês.Um abraço, Armando - fetichedecinefilo.blogspot.com

Neil Son disse...

grande beijo, patty!!

Neil Son disse...

pelo menos, arnaldo, não há duvida que ela envelheceu muuuuuito melhor que a bardot...