segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Recomendo!


A luta livre gênero pastelão, bem trash mesmo - que no passado revelou por aqui, 'talentos' como Ted Boy Marino -, continua reunindo uma multidão de fãs nos Estados Unidos. País estranho, aquele... Bem, mas não resta dúvida que a modalidade é um prato cheio para um roteiro de cinema, já que é fácil imaginar a triste decadência daqueles brutamontes movidos a esteróides e fanfarronice. Foi o que fez o diretor Darren Aronofsky em 'O Lutador'. Mas a grande sacada foi ter dado o papel principal para Mickey Rourke. O cara despontou como símbolo sexual em '9 e 1/2 Semanas de Amor' e fez pelo menos dois grandes filmes ('O Selvagem da Motocicleta', de Coppola, e 'Coração Satânico', de Alan Parker), pra depois embarcar em várias barcas furadas até tomar a infeliz decisão de retomar a carreira de lutador de boxe. Antes de enveredar pelo cinema, Mickey foi boxeador (e dos bons, ao que parece) na juventude; mas o retorno aos ringues foi um desastre - inúmeras derrotas e o rosto desfigurado pela pancadaria. Muitas plásticas e internações por drogas e álcool se seguiram, até ele voltar com tudo em 'O Lutador'.


Mickey Rourke está fantástico no filme. A história, como não poderia deixar de ser, é triste, aflitiva. Mas o diretor conduz a trama com maestria, sem cair na tentação do melodrama barato. Há cenas realmente muito boas e a composição do personagem principal se dá principalmente nos detalhes (como o aparelho de surdez do protagonista ou as suas unhas), o que é uma opção muito inteligente. Pra completar, a participação esplendorosa, tanto do ponto de vista artístico como do 'físico', de Marisa Tomei. Com tudo isso, 'O Lutador' é um triunfo.

29 comentários:

pecus disse...

Vi o trailer, e a figura do sujeito é bastante desagradável.

Márcia W. disse...

Neil
sério que você recomenda?
Na minha infância, a gente não perdia nenhuma transmissão do telecatch montila, montilaa, só que eu demorei anos para entender que era armação...

anna disse...

demais, mas levem lenço.

Sibila disse...

Oi Neil,
sempre associo o cara a 7 semanas e 1/2, lembra? Achava um puta canastrão. Teve filme bom com ele entre o 7 semanas e esse?
Pelas recomedações, vou ver.
Beijos

Sibila disse...

7 semanas ou 12 semanas e 1/2? Não me lembro mais...

Sibila disse...

Ah, Neil, vc já tinha escrito sobre tudo o que perguntei! Lendo todo o post, lembrei então do Selvagem da motocicleta, q adorei.
É que logo q vi a cara do moço veio a idéia "canastrão, canastrão" e tomada por minha ira "puta machistão aquele filme" (vai ver q foi só por conta do diretor), escrevi descascando em cima do Rourke.

Desculpaí, peço. Não para ele, mas pra você!
Beijos

Anônimo disse...

antes deste filme ele disse não para "pulp fiction" do tarantino, depois topou o "sin city" do robert rodriguez e se deu bem neste filme que eu recomendo.
parangolé

Anônimo disse...

Neil:
Essa modalidade pastelão é dos "Queima-Rôsca";jogam pedra com a mão esquerda.Vide Ted Boy,que casou e teve filhos para não atrapalhar a carreira.
Mickey Rourke é "mastigão",senta na touceira.A sensibilidade vem de baixo,do âmago,quando êle quer.Depende de um puta diretor,tipo Alan Parquer,que arrancou dêle uma interpretação magistral ao lado de De Niro em Coração Satânico.Um filme que vale sempre a pena rever.

Abraços

Günther.

hélio disse...

Concordo com a Sibila, acho ele um dos maiores canastrões que o cinema já produziu. Mas, Rumble Fish é muito bom.
Não fiquei muito a fim de ver "o lutador". Vou reavaliar.

Márcia W. disse...

Segundo essa nota do El País, fino o cara certamente não é:
Mickey Rourke prefiere los gorilas

Mickey Rourke ha encontrado la forma más fácil y rápida de salir del paso ante los rumores que aseguraban que, tras los Globos de Oro, él y la ex de Kurt Cobain, la rockera Courtney Love, empezaron a salir juntos. Durante la entrega de los premios Bafta, del cine británico, un reportero le preguntó a Rourke si era cierto lo de su nuevo romance, a lo que el veterano actor contestó: "Preferiría naufragar en una isla con un gorila antes que salir con ella". Sin comentarios.

Reuters - 2009-02-16

Neil Son disse...

nem sete nem doze, sibila: eram 9 semanas...

Neil Son disse...

e outra, sibila: o filme era mesmo machista, o diretor também e o personagem do rourke idem. mas foi um filme que marcou uma nova 'estética' em sua época - aquela dos filmes com linguagem de publicitário. e apesar de machista e 'pubicitário', era sensual pracarái...

Neil Son disse...

pecus: a figura dele é mesmo desagradável. e pela história que conta o filme, não poderia ser diferente.

Neil Son disse...

marcia: tenho uma certa atração pelas histórias dos losers, dos fracassados. deve ser uma reação natural a essa glorificação insana dos americanos aos winners; e dessa própria divisão que eles fazem entre winners e losers. que critérios são esses que definem uma coisa ou outra?

Neil Son disse...

é anna, especialmente para a cena dele com a filha, né?

Neil Son disse...

parangolé: não citei o sincity (do qual gostei muito) porque o rourke tá tão desfigurado naquele filme que só soube que era ele quando vi os créditos no final.

Neil Son disse...

gunther: a verdade é que nem mesmo um fellini pra arrancar interpreta,ção de um vitor fasano, por exemplo, ou do 'cigano igor'. algum talento a pessoa precisa ter.

Neil Son disse...

'rumble fish' é mto bom mesmo, hélio; e o 'angel heart' também. 'o lutador' é outro tipo de filme, mas é também excelente.

Neil Son disse...

olha marcia, não diria isso a um jornalista (ainda mais se fosse um cara famoso), mas se houvesse uma hecatombe atomica e sobrasse só eu e a courtney love em uma ilha deserta, era o fim da humanidade.

Arnaldo disse...

Neilson,

Já tinha decidido ver este filme antes de ler o teu texto. Mas a minha decisão é por causa da Marisa Tomei. sempre vale a pena ver qualquer filme com a Marisa Tomei, mesmo que seja uma droga de filme (e normalmente é).

peri s.c. disse...

Esses tele-catchs são uma embromação de pancadaria grossa, mas no fundo, inofensiva ?

Humm, eu gostava do Fantomas, da era pré-Ted Boy.

Neil Son disse...

pois então, arnaldo, vá correndo. se vc é fã da marisa tomei, esse filme irá realizar (quase) todos os seus sonhos...

Neil Son disse...

peri: o fantomas foi contemporâneo do ted boy! me lembro dele.

peri s.c. disse...

Neil
Não era uma reedição fantasmagórica?
O Fantomas original apareceu na época da Record, pré-época de ouro dos festivais/programas musicais, quando a luta-livre era apresentada aos sábados logo depois do futebol, que começava às 9 da noite, não existiam novelas.
Será que o Ted-Boy é tão antigo?

Neil Son disse...

é esse fantomas mesmo, peri. e quem apresentava (ou comentava?) o telecatch na record era o arapuã. putz, como eu to véio...

anna disse...

muito antes daquele encontro deles! pelos os amigos , os ringues, a "casa" que mora, o trampo da paixão estranha dele, e ainda seu rostinho, que depois de tão gato parece que foi atropelado por uma britadeira de botox!

Neil Son disse...

anna: 'gato atropelado por britadeira de botox' foi demais! genial! HAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!

Márcia W. disse...

Neil,
a Anna disse tudo ! E se na tal ilha fosse eu e Mickey, repensaria aqueles conceitos de voto de castidade e silêncio...

peri s.c. disse...

Neil
Arapuã ... e Raul Tabajara ! ah, ah.