segunda-feira, 5 de novembro de 2007

A Via Láctea (e sua estrela)


Nesse final de semana, assisti ‘Via Láctea’, longa de estréia da paulistana Lina Chamie, com Alice Braga e Marco Ricca nos papéis principais. Uma agradável e poética surpresa – bom roteiro, câmera criativa, atores bem dirigidos e um bom retrato da São Paulo que oprime, do trânsito caótico e das ruas escuras/ameaçadoras; mas também a São Paulo dos encontros, dos amores loucos, e das Bacantes do Zé Celso, que pontuam a história.

Na cena retratada acima, Alice Braga em primeiro plano.

Filha dos queridos Ninho Moares e Aninha Braga, Alice (Lili) é amiga do Gabriel, meu filho, desde a primeira infância. Sempre juntos na escola, na casa de um ou de outro, no sítio perto de Itu. Me lembro de uma vez que me chamaram na escola: Gabriel havia feito um corte feio na mão, precisava ser levado ao hospital. Cheguei lá, Lili estava ao seu lado, dando uma força. E me disse: ‘quero ir junto com ele no hospital! Me leva! Me leva!’ E lá fomos nós. Eu nem queria olhar enquanto o enfermeiro limpava o ferimento e começava o procedimento de costurar a mão do Gabriel; e a Lili, com 7 ou 8 anos, entre preocupada e excitada com a situação, me puxando o braço: ‘Eu quero ver, eu quero ver!’. Por toda a infância e adolescência, continuaram amigos; e são até hoje. Na foto abaixo, Lu, Gabs e Lili...


Lili fez alguns comerciais na adolescência; mas parece que foram as férias na casa da tia Sônia, em Nova York, que fizeram com que a menina se encantasse seriamente com a possibilidade de ser atriz. Meio que de repente, surge Alice Braga em participação curta, porém luminosa, como a namorada do Zé Pequeno de ‘Cidade de Deus’.
Hoje morando em Los Angeles, Lili, aos 24 anos, já tem bastante história pra contar: fez o difícil papel da protagonista do elogiado ‘Cidade Baixa’ e concluiu agora uma super-produção do ‘cinemão roliudiano’ (onde é atriz principal, ao lado de Will Smith). Além disso, está no elenco do aguardado ‘Blindness’, de Fernando Meirelles, e se prepara para filmar com Sean Penn e Robert de Niro. Pra completar, soube ontem que a Lili está na lista da revista americana Esquire, como uma das 100 mulheres mais sexy do mundo. Incrível, né?

Ainda pouco conhecida no Brasil, a melhor coisa que li por aqui sobre Alice Braga foi a matéria de capa da edição passada da revista Vogue RG. O autor da matéria? Gabriel, aquele lá do começo do post...

UPDATE: Nossa! Um monte de erros nos post, identificados e corrigidos pelo Gabriel, me obrigam a atualizar o texto. Aí vai:

- Eu cortei a mão fazendo o trabalho final de artes (uma escultura de pensador que nunca ficou pronta), na oitava série. A gente tinha nossos 14/15...

- A Lili passou férias na Sônia uma vez só. Ela mesma sempre diz que a referência familiar que tem como atriz vem da Aninha, não da Sônia, que ela mal conhece.

- No Cidade de Deus, ela faz a namorada do Buscapé e depois do Bené. O Zé Pequeno é tão puto da vida justamente porque não consegue arrumar namorada. É muito feio...

- A Lili não tá morando em Los Angeles. Ela tá filmando lá, só de passagem. Na verdade, o lugar onde ela tem casa mesmo é aqui em Sumpaulo e em Nova York.

- Ela tá filmando com Sean Penn e Harrison Ford; não tem filme com o de Niro, não...

- E a edição da Vogue RG em que saiu minha matéria não foi a passada, mas a de agosto.

Pronto! Taí o 'âpideite'!!

14 comentários:

anna disse...

essa fotinho dos 3 vendo tv tá demais.
pela época deve ser bambalalão ou ratimbum.

Neil Son disse...

anna: pelo que me lembro, o que eles mais curtiam ver, na época, era o videok7 do lisérgico 'yellow submarine' dos beatles. por incrivel que pareça...

Barba Roja disse...

Putz... Isso é verdade. Nosso negócio era psicodelia. Nisso, até que não mudamos muito até hoje.

luisa disse...

que delícia! adorei o texto, as fotos e os errinhos, adorei..! aliás, nós fomos na festa do blindness que a lili fez aqui na casa dela em são paulo, com direito a elencão e tudo mais. disseram que até gael, ele mesmo, o che, tava lá, hehehehehe!
beijos

Neil Son disse...

é, crianças lisérgicas e psicodélicas, gabs... onde será que erramos (ou acertamos)???

Neil Son disse...

luisa: e o gael que se cuide, pra não cair na 'síndrome de jimmy cliff'... logologo, vão estar dizendo: 'ii, lá vem aquele chato do gael de novo', hehehe...

anna disse...

son, que delícia não precisarmos mais nos lembrar detalhes de nossas vidas passadas, não?
nada como filhos e amigos (esses contribuem só com parte da história porque estão na mesma) prá nos recontarem quem fomos, não?

franka disse...

putz neil, cê tá gagá total.

Neil Son disse...

pois é anna, chega uma hora em que precisamos de um grilo falante (ou de alguns...)

Neil Son disse...

eu to gagá franka? ué, mas não sou eu que tiro a sorte em pão de mel.

K disse...

Hahahaha, depois dessa, não acredito em mais nada que saia nesse blog sem antes passar pela checagem. ;)

Neil Son disse...

é mesmo, k: descofie sempre, hehehe... mas o legal é que entre as vantagens da 'mídia blog' estão a falta de compromisso com qualquer coisa e a possibilidade de corrigir imediatamente o que está errado.

carolina disse...

ah, v� errinhos de nada, a ess�ncia � a mesma. fiquei achando que deve mesmo ser uma del�cia ver os pequenos grandes assim.

Anônimo disse...

Marcinho
a foto me deu saudades de tudo. O texto deliciou-me. Que meninada linda e talentosa...
Beijos, monte deles, na família toda
Rifka